19/06/17

KOH RONG • UM PARAÍSO FORA DOS RADARES


Começo por uma das ilhas mais incríveis que alguma vez visitei porque esta ilha merece um post a tempo e horas.
Quando pensam que só as ilhas da Tailândia é que fazem jus a fundos de ecrã enganam-se, Koh Rong fez-me quase chorar por ter de ir embora.

Localizada no sul do Cambodja, está a 1 hora de Sihanoukville​, muito perto da fronteira com o Vietnam.
Chegámos a Sihanoukville com os minutos contados, o barco estava a 15 minutos de partir e nós ainda tínhamos de procurar um ATM e negociar uma tucktuck para nos levar ao porto.
Toda uma história para contar.
Chegámos ao porto atrasados e demos graças por neste país nada acontecer a horas, depois de um choradinho deixaram-nos voltar ao centro da cidade para ir levantar dinheiro.

Dica: Anda sempre com dinheiro no bolso e antes de ires para esta ilha prepara-te para um autêntico survivor, não há caixas multibanco, muito pouca rede Wi-Fi, das poucas estradas que há só mesmo em terra batida e vão sempre tentar enganar-te, simplesmente porque és estrangeiro.

Obviamente que o barco partiu uma hora depois. 
Aquele porto era algo de surreal, não vias a cor da água, vias lixo em cima de lixo, casas feitas de lixo e miséria por todo o lado. O cheiro era inexplicável. Nunca diria que ia a caminho do paraíso.

Uma hora depois chegámos a Koh Rong. O céu ficou sem nuvens (primeira vez em 25 dias), calor e uma energia fora do comum. 
Nesta ilha podes encontrar de tudo um pouco, desde um resort maravilhoso sobre a água em que a noite custa nada mais nada menos que 1600€ (o mais barato), como podes encontrar uma cabana à frente da praia por 4€ a noite (negociável).

Sok San Beach Resort (regista num post-it e promete que vais lá um dia) foi o local escolhido para passar estes fantásticos dias, na segunda maior vila desta ilha (não penses que é grande).
Areia branca, água cristalina, corais, conchas, peixes, palmeiras e ZERO turistas, o que podemos querer mais?
Acredito que daqui a uns anos esta ilha não esteja igual, estão a construir vários resorts pela ilha e desde que foi filmado o reality show "Survivor" o turismo tem vindo a aumentar.


Sugestões:

. Snorkeling: Vale muito a pena! Fizemos snorkeling na Tailândia e nem aí vimos um fundo do mar tão bonito como nesta ilha. A água queimava de tão quente que estava e os corais tinham cores que nunca imaginei. Para além disso, no caminho de barco conseguimos ver zonas da ilha em que o acesso só é feito via marítima e as fantásticas praias onde foram filmados os vários Survivors (fake or not... Was awesome!)

. Caiaque: Surreal. Também fizemos caiaque em Koh Lanta (Tailândia) mas aqui sentimos mesmo que estávamos do outro lado do mundo, impossível descrever em palavras a energia que a natureza nos transmite.

. Plâncton luminescente: Não conseguimos ver mas dizem que é das experiências mais fantásticas desta ilha.

. Deslocações: Em qualquer lado podemos alugar mota ou bicicleta , no entanto, esta ilha não foi feita para grandes passeios a duas rodas. Existem muito poucas estradas e as que existem são de terra batida em muito mau estado. muitas das praias só têm acesso de barco visto que a maior parte da ilha ainda é virgem.

. Regatear: Negoceia SEMPRE. Ao contrário da Tailândia, o Cambodja não é barato devido ao Dolar e obviamente que eles olham para nós como a Galinha dos ovos de Ouro. Pedem balúrdios até por uma simples banana. 


Toda esta experiência não teria sido igual sem o maravilhoso STAFF do resort que nos acompanhou. A particularidade do Cambodja é que vamos fazendo amigos ao longo das viagens, sempre tão amáveis e prontos para ajudar. 
Foram 4 dias que podiam ter sido 30.

Dica: Se tiverem tempo visitem Koh Rong Samloem, a ilha que fica mesmo ao lado desta. Nós não tivemos tempo mas vai ser sempre uma desculpa para voltar.

A,♥️









             

WHAT ABOUT ASIA?


Quase todos nós sonhamos largar tudo e viajar pelo mundo de mochila às costas, right?
Depois de um ano de muita pesquisa organizámos calendários e marcámos a viagem que viria a ser das maiores aventuras das nossas vidas.
Uma loucura, 50 dias de viagem, mas era agora ou nunca!
Inicialmente estavam na mesa 6 países mas, apesar de serem uma catrefada de dias, nunca daria para fazer isso tudo e descansar ao mesmo tempo (ou até daria mas eu simplesmente não tenho energia para tanto!).

Fomos num mood em que queríamos conhecer muito mas descansar ainda mais, e sendo que nesta altura do ano entramos na época das chuvas, a probabilidade de chover durante um dia inteiro era grande.
(Nota: Engane-se quem pensa que vai fazer uma viagem destas para descansar) 

Se queres fazer uma viagem destas certifica-te primeiro quais são os melhores meses para o fazer. Tudo tem prós e contras, na low season vês menos turistas mas podes contar com dias de chuva pelo meio, na high season o tempo estará maravilhoso mas a probabilidade de veres praias cobertas de turistas é bem grande.
A mim dá-me uma certa comichão estar rodeada de turistas por isso posso bem com chuviscos. 

Nos próximos posts irei documentar grande parte da nossa viagem, dicas, experiências, lamurias e muito mais, num ambiente informal como se quer. É sempre difícil documentar tudo em pormenor numa odisseia em que até os cheiros servem para contar uma história.

Aceitam-se dicas (muitas).

Hope you love it,
A,


Copyright @ It's Andy. Blog Design by KotrynaBassDesign